"Para que todos vejam e saibam, considerem e juntamente entendam, que a mão do SENHOR fez isso, e o Santo de Israel o criou".

Isaías 41.20

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Quem é o seu Grande Amigo?

Hoje pela manhã, estava ouvindo a programação da Rádio Catedral no Programa Bom Dia Catedral, e o tema do dia foi sobre o Amigo. Amigo que temos, amigo que ganhamos ao longo de nossa vida, amigo que conquistamos, e como é bom termos um amigo que seja. E eu fiquei pensando em como é ter verdadeiramente um amigo... Interessante, é que eu nunca tinha parado para pensar sobre o que é ter um verdadeiro amigo, amigo pra todas as horas, amigo que podemos chorar em seus ombros e não sentirmos vergonha, amigo sincero, que vai saber de nossas fraquezas e nunca vai nos envergonhar... Amigo verdadeiro, que vai chorar a mesma lágrima sentida de nossos corações e também vai se alegrar e sorrir quando ouvir sobre as nossas vitórias.

Meditei por alguns minutos, olhei a minha volta, dei uma de coruja e mergulhei num vôo em todas as direções da minha vida, numa visão de 360º graus, no mais profundo do meu ser, e descobri que, ao longo da minha vida, somente consegui ter realmente, dois amigos, dois grandes amigos. Amigos para o que der e vier. Amigos pra valer, e vou usar este espaço para declarar o meu grande amor a esses dois grandes amigos:  

Meu Senhor Jesus – Esse é o meu primeiro GRANDE AMIGO! Quanta alegria invade o meu coração quando eu reconheço que eu tenho um GRANDE AMIGO! Mesmo antes de encontrá-Lo, mesmo antes de conhecê-LO, muito antes de ter um verdadeiro e real encontro com Ele, através do Seu Espírito Santo, Ele já me amava, incondicionalmente... Jamais, em toda a minha vida, o SENHOR Jesus me virou as costas, me recriminou, me envergonhou, me humilhou, e mesmo sabendo de todos os meus pecados, defeitos, fraquezas e limitações, Ele sempre me amou e me ama, sempre segurou em minhas mãos e continua segurando, quando estou  caindo, tem me sustentado de pé, quando o cansaço tenta me abater.

Meu Deus e meu Pai, como posso Te agradecer o GRANDE AMIGO que me deste? Como posso retribuir essa Graça, pois a minha vida vale tão pouco, ou quase nada, e como posso retribuir-Lhe tamanho privilégio de ser amiga de Jesus?

Sei que jamais poderei retribuir essa Graça. Sou pecadora, miserável pecadora... Mas também sei, que o meu grande Amigo, com quem posso contar nas horas mais difíceis, que chora comigo quando estou triste, e que me levanta quando estou caída, sabe do meu grande e incomensurável amor por Ele. Não existe nada maior ou mais forte dentro de mim, que se compare ao amor que tenho pelo meu GRANDE AMIGO SENHOR JESUS!  SENHOR JESUS, eu Te amo!

Meu marido – esse é o meu segundo e grande amigo, e a todo o momento eu declaro a Deus a minha gratidão eterna por ter escolhido tão especial criatura aqui na terra, para ser o meu grande companheiro. Companheiro de todas as horas, mas de todas as horas mesmo... Tribulações, claro que tivemos e teremos... Discordâncias e até mesmo algumas “brigas”, claro que às vivemos e viveremos. Opiniões divergentes, conflitos familiares, mudanças de hábitos, perdas financeiras e materiais, também foram e serão superadas, somente porque, entre nós, sempre existiu e continua existindo acima do amor, do sexo, das necessidades do dia-a-dia, e do próprio orgulho e vaidades deste mundo, a nossa grande amizade! Somos antes de qualquer coisa, eu e o meu marido, grandes parceiros, grandes amigos, que se amam, como Deus nós ensinou, e a tempestade pode até sobrevir, mas temos sempre a certeza de que o sol vai voltar a brilhar em breve, acima das nuvens no céu. O meu marido, sem dúvida, nenhuma, é o meu segundo grande amigo, pois tudo passa: juventude, força, vigor, beleza, mas o que nos sustenta é o amor sincero que foi sendo cultivado em nossos corações ao longo dos quase quarenta anos  que temos de união.

Para os meus dois grandes e únicos Amigos, eu dedico essa canção que para mim, descreve o verdadeiro sentimento sobre um Amigo. Deus abençoe a todos.



quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Obrigado Senhor Jesus

Meu Deus, meu Pai, meu amor, meu tudo, estou muito feliz, pois, o que parecia ser um sonho, estou vendo a cada dia, se tornar realidade...

Há muito tempo, eu desejava ter um cantinho na internet somente para falar do amor, da gratidão e do temor que sinto por Ti, mas, vivendo tantas tribulações no dia a dia, a cada dia, ficava mais distante realizar o meu sonho, mas o SENHOR é tremendo, e realmente, sabe todas as coisas...


E eis que estou aqui, neste exato momento, festejando com o SENHOR, os primeiros 1000 acessos a este Blog, um cantinho que Te pertence, meu amado Deus!


Sinto alegria em meu coração, e uma gratidão enorme pelo que Tens feito em minha vida, e feliz, muito feliz, podendo ver parte do meu sonho se realizar.


Prometo-lhe, meu Deus e meu Pai, que, todos os dias da minha vida, quantos forem os que me restam, serão dedicados a falar e a espalhar a Tua Palavra por onde eu andar.


Enquanto eu tiver forças para falar e caminhar, estarei Contigo, e Tu, estaras comigo!

E quando as forças me faltarem e o sopro da vida me faltar, saberei que estarei junto a Ti, por toda a eternidade, meu Pai!

Dá-me SENHOR meu Deus, sabedoria e humildade, para que eu realmente seja um instrumento da Sua vontade, em Tuas mãos!

E que eu sempre esteja pronta para Te servir e Te seguir, e que eu possa sempre Te dizer: Eis-me aqui!

Te amo, SENHOR meu Deus!

Te adoro, SENHOR Jesus!
Senhor Espírito Santo, abraça-me!
Com carinho, com temor e tremor em nossos corações,
         Turminha do Rancho das Pererecas.  

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Perdoar Sempre



“Deus amou de tal forma o mundo que lhe deu Seu Filho único para que todo o que N’Ele crer não pereça, mas tenha vida eterna” (Jó 3,16). Nós amamos porque Deus nos amou primeiro (1Jo 4,19). Somos constantemente perdoados por Deus, que nos amou primeiro. E, porque somos perdoados e amados por Deus, devemos também perdoar.


A experiência do Perdão concedido


Novamente, concluímos que seria impossível amar a Deus e ao próximo se Seu amor não tivesse sido derramado em nossos corações, ou seja, se Deus não tivesse nos amado primeiro.
Sustentados no amor de Deus, podemos perdoar aqueles que nos ofenderam, feriram, agrediram e humilharam.
“Se cada um não perdoar seu irmão, o Pai não vos perdoará” (Mt 6,14-15). É claro que não é fácil perdoar; se fosse, não teríamos mérito algum. Por nossas próprias forças não conseguimos perdoar; podemos não desejar o mal ou pensar em vingança contra quem nos ofendeu. Contudo, para conseguir perdoar, além de querer perdoar, necessitamos da graça de Deus e da ajuda do Espírito Santo.
O perdão ao próximo deve ser ilimitado. Jesus ensinou que devemos perdoar sempre e contou uma parábola de um empregado cuja dívida de dez mil talentos fora perdoada pelo patrão. Entretanto, o mesmo empregado não foi capaz de perdoar um de seus companheiros que lhe devia apenas cem denários. Então, o patrão entregou aquele servo mau aos algozes até que pagasse toda a dívida. E, finalizando a parábola, Jesus avisa: “Assim vos tratará Meu Pai Celeste, se cada um de vós não perdoar a seu irmão, de todo seu coração” (Mt 18,22-35).
Perdoar não é sinal de fraqueza. Pelo contrário, é sinal de muita força, reconhecimento e profunda gratidão pelo sacrifício de Jesus, para que pudéssemos ser perdoados e voltar a Deus. Reforçando esse ensinamento, Paulo escreveu aos Efésios: “Sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou” (Ef 4,32).
O perdão concedido sob o impulso do Espírito Santo liberta-nos tanto quanto liberta aquele a quem perdoamos. Mas, se agimos por nós mesmo e não pela força de Deus, não conseguimos viver o perdão.
Quantos de nós já fizemos a experiência desagradável de nos conscientizar do pecado, arrepender, confessar, fazer a penitência, mas não encontramos a paz? Aquilo parece que não fica resolvido dentro de nós...
Se voltarmos em nossa história, as lembranças doloridas de uma infância infeliz, os registros negativos, os traumas pelos fatos que nos marcaram no passado provavelmente ainda nos atrapalham no presente. Cito como exemplo um casal que se amava, mas não conseguia ser feliz, porque a mulher carregava uma memória dolorosa da infância em que o pai alcoolista, ao chegar em casa, espancava a esposa e os filhos. Ela acabou assimilando que tudo que vinha dos homens era ruim. Amava o marido, mas estava presa apo passado.
Com freqüência, ouvimos que o tempo cura tudo, mas, na verdade, é o perdão quem cura quando concedido na presença do SENHOR. Ou seja, o perdão cura quando, sob a ação do Espírito Santo, temos coragem de voltar ao passado, trazemos à tona aquele segredo escondido a sete chaves – motivo de nossa vergonha ou repulsa – e pedidos que Deus cure nossa ferida, ajudando-nos a nos libertar para sermos felizes no presente.
(Extraído do Livro “20 Passos para a paz interior”, Pe Reginaldo Manzotti, nov. de 2010, páginas 185, 186 e 187. WWW.padrereginaldomanzotti.org.br)

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Jesus é o nosso Capitão!


“Então, entrando Ele no barco, seus discípulos o Seguiram. E eis que sobreveio no mar uma grande tempestade, de sorte que o barco era varrido pelas ondas. Entretanto, Jesus dormia.
Mas os discípulos vieram acordá-lo, clamando: SENHOR, salva-nos! Perecemos!
Acudiu-lhes, então, Jesus: Por que sois tímidos, homens de pouca fé? E, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar, e fez-se grande bonança. E maravilharam-se os homens, dizendo: Quem é Este que até os ventos e o mar lhe obedecem?”
                                                                                                                            Mt  8:23.24.25

Realmente, somos todos homens e mulheres de pouca fé...
Quantas são as vezes que pedimos ajuda ao “Nosso Capitão”, e ao mesmo tempo, passamos a dirigir o nosso próprio barco? Quantas são as vezes que, mesmo em meio às dores e tristezas, dizemos para Jesus: O que fazer? Como fazer? E logo em seguida, tomamos caminhos inversos? Como, realmente, podemos fazer de Jesus, o nosso Capitão? Pela Fé!
Somente pela Fé, podemos nos entregar de olhos fechados para as soluções que Ele nos mostra, mesmo que não estejam de acordo com os nossos desejos. Temos que nos entregar, de corpo, alma e espírito ao Único que realmente, pode comandar o barco de nossas vidas. Mesmo que venham lutas e perseguições, tempestades, ventos que soprem em todas as direções, mesmo que as ondas se tornem tão imensas, que pensamos que vão nos engolir... Mesmo assim, temos que entregar a solução ao Único que é digno de receber toda a Honra e toda a Glória, o SENHOR JESUS!

Não é fácil, crermos no que não vemos, mas é esse o maior milagre da vida.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Amar




Você sabe amar?
         Eu estou aprendendo.
         Estou aprendendo a aceitar as pessoas, mesmo quando elas me desapontam; quando fogem do ideal que tenho para elas; quando me ferem com palavras ásperas ou ações impensadas.
          É difícil aceitar as pessoas, assim como elas são, e não como eu desejo que elas sejam.
          É difícil... Muito difícil... Mas eu estou aprendendo.
          Eu estou aprendendo a amar... Estou aprendendo a escutar...
          Escutar com os olhos e os ouvidos. Escutar com a alma. Escutar o que diz o coração, o que dizem os ombros caídos, os olhos lacrimosos, as mãos inquietas.
            Escutar a mensagem, que se esconde por entre as palavras corriqueiras e superficiais.
            Descobrir a angústia disfarçada, a insegurança mascarada, a solidão encoberta.
            Penetrar o sorriso fingido, a alegria simulada, a vanglória exagerada. Descobrir a dor de cada coração.
            Aos poucos estou aprendendo a amar... Estou aprendendo a perdoar... Pois, o amor perdoa, lança fora mágoas e apaga as cicatrizes que a incompreensão e a insensibilidade gravaram no coração ferido.
            O amor não alimenta mágoas com pensamentos dolorosos, não cultiva ofensas com lástimas e autocomiseração.
            O amor perdoa, esquece, extingue todos os traços de dor no coração.
            Passo a passo, estou aprendendo a perdoar... A amar...  Estou aprendendo a descobrir o valor que se encontra dentro de cada vida, de todas as vidas.
Valor soterrado pela rejeição, pela falta de compreensão, carinho e aceitação, pelas experiências duras vividas ao longo dos anos.
            Estou aprendendo a ver nas pessoas, a sua alma e as possibilidades que Deus lhe deu.
            Estou aprendendo...
            Mas, como é lenta a aprendizagem!
            Como é difícil amar incondicionalmente!
Todavia, tropeçando, errando, estou aprendendo. Sim, eu estou aprendendo!
                        e vou tentar amar meus irmãos, como Deus me ama”
(autor desconhecido)

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

"A Criação geme em dores de parto" (Rm 8,22)


O tema da Campanha da Fraternidade de 2011 é “Fraternidade e a Vida no Planeta” que será voltada para o meio ambiente; e o lema é “A Criação Geme em Dores de Parto”.
Dom Dimas Lara Barbosa, bispo auxiliar do arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro e secretário geral da CNBB, conta-nos que a Campanha da Fraternidade de 2011 reflete a questão ecológica, com foco, sobretudo, nas mudanças climáticas.
A Campanha da Fraternidade terá início na   Quarta-feira de Cinzas, nove de março de 2011, desenvolvendo-se durante todo o período de Quaresma.
O cartaz possui dois planos. Ao fundo observa-se uma fábrica que solta fumaça, poluindo e degradando o ambiente, deixando o céu plúmbeo, intoxicado e acinzentado.
A figura do rio com a água escurecida e suja representa também a parte natural sendo devastada, influenciando no aparecimento das enchentes e no aumento do nível do mar. Ações estas provocadas pelo ato errado do homem.
Em contraste a isso, vemos em primeiro plano uma mureta, onde em meio à devastação ainda existe vida. Nela, um pequeno broto e um cipreste (hera), com suas raízes incrustadas, criando um microssistema, ainda insistem em viver mesmo diante de um cenário áspero. Sendo, portanto, referência ao lema: “A criação geme em dores de parto” (Rm 8,22).
Apesar de todo o sofrimento que a criação enfrenta ao longo dos tempos, de todos os seus “gritos de dor”, a vida rompe barreiras e nos mostra que ainda existe esperança, representada pela borboleta, que mesmo com uma vida curta, cumpre o seu importante papel no ciclo natural do planeta.
(Texto extraído do Jornal Vicariato Norte 2ª Região Ano XII – nº 80 – Paróquia dos Sagrados Corações - Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro)

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Sal da Terra e Luz do Mundo

Celebramos hoje a luz da fé. Isaías fala da luz que brilha como a aurora, da vida que refulge como o sol do meio-dia. Na medida em que se vive a justiça, a caridade para com os pequeninos, em que se é solidário, renuncia-se às obras das trevas para fazer resplandecer em nós a luz de Deus: “uma luz brilha nas trevas para o justo, permanece para sempre o bem que fez” como contamos no salmo de hoje.
Em São Paulo, é o humilde reconhecimento de sua fraqueza que o faz resplandecer no amor de Cristo. Depois da experiência negativa que tivera em Atenas com os homens da cultura de seu tempo, entendeu que deveria mudar o método de sua pregação, deixando que Cristo, e não a sabedoria humana, falasse por Ele, encontrando no testemunho de vida o mais brilhante meio de evangelizar. Às vezes, os fracassos humanos são mais úteis que os êxitos...
Também nós somos chamados a esse encontro com Jesus, que nos convida a ser sal da terra e luz do mundo. Diante de tantas opções que nos são oferecidas, corrupção, fraude, injustiça, imoralidades, infidelidades, competições desleais etc., o cristão é chamado a enfrentar e vencer as tentações e as armadilhas que encontra ao longo do caminho.

Certa vez, o Papa João Paulo II, dirigindo-se aos jovens, disse que eles deveriam ser capazes de iluminar o mundo com a luz do amor ao próximo. No tempo em que as luzes fluorescentes dos grandes centros urbanos nem sempre convidam à santidade, o cristão é chamado a irradiar, com a sua vida, a fé que professa com os seus lábios.

Postagens populares

Sejam todos benvindos ao mundo encantado da Turminha do Rancho das Pererecas

A Turminha do Rancho das Pererecas é tudo de bom!
Essa Turminha é muito inteligente, e nunca param de sonhar...
Sonham com um mundo melhor e mais justo, onde os humanos e os animais, viverão em perfeita harmonia e PAZ!
Sonham com o dia em que o homem não se verá, como um ser superior, mas sim, como parte integrante deste universo chamado Reino Animal...
Essa Turminha, luta por tudo que acreditam, e estão sempre prontos para ajudar a alguém...
São capazes de tirar de si mesmo para dividir com o próximo...
Adoram a Deus, acreditam na vida e amam todos os companheiros deste mundo encantado chamado animal...
Eles acreditam nas criaturas e no Criador...
Vivem buscando novas idéias, novas soluções, novas direções, para que a vida venha ser vivida realmente como um grande Milagre de Deus, pois afinal, no mundo encantado da Turminha do Rancho das Pererecas, tudo é possível àquele que crê!